quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

DIÁRIO DE UMA BAD GIRL (4ª Temp.) - 3



3. PERDENDO O CONTROLE

Terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Querido Diário Macabro:

Graças a ajuda que recebi, já estou melhor. Essas queimaduras horríveis já estão cicatrizando.
O que não vai cicatrizar tão cedo são as feridas do meu orgulho.
Queimada com água benta.
Agora eu sou um monstro oficial, não é?
Ross entrou no quarto quando eu gritei, e faltou pouco para que ele esmurrasse a velha.
Ela exigiu que me tirassem de lá imediatamente, e me pareceu que ela estava xingando a mãe de todo mundo em romeno, mas Ross não quis traduzir a discussão pra mim.
Queimadura em vampiros não se pode tratar em um hospital, por motivos óbvios. Então foram os próprios membros da Liga que cuidaram de mim. Quando se estuda vampiros e outras criaturas durante anos, se aprende alguma coisa, e aquela pomada caseira ajudou bastante.
Pelo menos, chega de hospedarias.
Agora estamos na sede da Liga Fatalville da Transilvânia. Viemos no jatinho até aqui, e esse lugar é muito louco.
Salas de controle e quartos simples, mas bem equipados, computadores com todo tipo de registro... E totalmente oculta pelas montanhas em um pedaço quase secreto da floresta.
Transilvânia: Um lugar lindo.
Quem diria, heim?
Talvez seja meu instinto vampiro.
Hoje depois do almoço bateram na porta.
Era Ross.
- Está melhor? – Perguntou ele, sentando-se ao meu lado na cama e me dando um beijo na testa.
Eu podia perceber que ele se sentia culpado pelo o que aconteceu, e quase não agüentava olhar para as marcas que estavam no meu braço. E isso era besteira.
Como a gente ia saber que a velha era caduca?
Ou melhor, muito esperta?
- Eu estou ótima. – Respondo. – Acabei de desfazer minhas malas. Você já está pronto?
Ele apenas me olhou, sem responder.
Me levantei, enérgica, e peguei minha bolsa.
Ross sabia muito bem o que havia dentro dela: estacas.
- Eu sei que nunca vou conseguir te impedir de ir com a gente, mas posso tentar? – Disse ele, finalmente.
- Não! – Respondi na hora. – Ross Christie: Eu vim até aqui para caçar vampiros que estejam incomodando as pessoas. Ou ajudá-los, se preciso.
Ok, a frase “ajudar vampiros” é mesmo ridícula. Mas talvez eles estivessem apenas descontrolados, e não matassem por prazer. Todo mundo merece uma chance de se explicar.
- E, afinal – continuei. – Até acho que aquela velha fez a coisa certa. Ela estava só se protegendo, não estava?
- Mas você não é como eles. – Disse Ross, sério.
- Poderia ser. – Respondo, dando de ombros.
Eu já sabia que a guerra estava ganha.

***
Começamos investigando o vilarejo mais próximo.
John e Selly entraram em uma loja de camisetas e outras lembranças de viagem. Fui com Ross até a loja de artesanato local.
Ele iniciou um papo furado com o balconista, para descobrir alguma informação. Eu fingi examinar os amuletos e pingentes do outro lado da loja. Talvez eu levasse um.
Fui interrompida por uma mulher de vestido laranja extravagante e anéis espalhafatosos em quase todos os dedos.
- Posso ler sua mão, meu bem?
Ross tinha me avisado para tomar cuidado com os ciganos.
Eles eram espertos, muito espertos.
Sabiam de muita coisa que não era desse mundo.
Mas eu estava muito surpresa para me lembrar do conselho naquele momento.
- Você fala a minha língua. – Disse, feito uma turista idiota.
Ela assentiu, pegando minha mão antes que eu pudesse recuar.
- Uma mão fria simboliza um coração quente, minha jovem. – Começou ela, arregalando os olhos claros e seguindo com a unha comprida e suja as linhas da minha palma. – Um coração quente que já enfrentou muita coisa. Você veio de um lugar incomum, mas ainda não está preparada para a Romênia. Aqui é perigoso demais para você. As trevas a invocarão em breve, e...
Ela soltou minha mão delicadamente, e me encarou.
- Bem... acho que já chega, meu bem.
A cigana parecia perturbada.
- O que foi? O que você viu?
Não que eu acredite nessas coisas, mas faz parte do show, não é?
- Você vai morrer. Antes do fim dessa viagem, as trevas a tomarão e seu coração quente deixará de bater.
Clichê.
Antes que eu pudesse rir, Ross segurou o meu pulso, encarando a cigana.
- Já chega. – Disse ele, sério e hostil. – Pegue.
Ele estendeu uma nota dobrada
Mas ela recusou, ajeitando o lenço azul no cabelo desgrenhado.
- Não quero o seu dinheiro, meu jovem.
Ela se afastou, desaparecendo nos fundos da loja.
Ross e eu nos entreolhamos.
- Não acredite nela, Stacy. – Disse ele, me encarando. – É tudo bobagem.
Sorri, dando de ombros.
- É claro que eu não acredito. Quem você acha que eu sou? Se é assim, também posso fazer previsões.
Ross também sorriu, me guiando para fora da loja.
- E o que a Madame Ricce prevê para o meu futuro?
- Deixe-me ver... – Eu fingi me concentrar, pronta para dizer que ele ia ganhar um beijo de uma loira sensual, quando uma coisa muito sinistra aconteceu.
Era como uma voz.
Só que dentro da minha cabeça.
E não era com palavras.
Deve ser assim quando um cão escuta um apito.
Mas eu não sou um cão, sou uma vampira.
Meus dentes se afiaram, senti as minhas presas crescerem, meu maxilar se deslocando, os caninos se projetando para fora dos lábios...
Que diabo era aquilo?
Ross quase recuou, assustado.
Lhe lancei um olhar de desespero e confusão.
Ele me abraçou e eu abaixei a cabeça, enquanto ele me arrastava em passos ágeis para onde John e Selly estavam, em uma das mesinhas de pedra no centro de uma espécie de praça.
Mas antes que pudéssemos dizer qualquer coisa, outra bizarrice aconteceu.
A cabeça de John virou uma enorme cabeça de lobo. Só a cabeça, em um corpo humano. No primeiro instante, achei que aquilo era alguma brincadeira arriscada e estranha.
Mas quando ele sacudiu a cabeça, voltando a aparência de sempre, tinha a expressão alarmada.
- Meu Deus... – Sussurrou ele, olhando para nós, e depois para Selly.
Selena deu uma espécie de rosnado, se arqueando de forma estranha, e suas unhas bem feitas viraram garras de besta por alguns segundos.
Eu teria pensado que era uma ilusão, se os talhos na mesa não fossem bem reais.
Ela tampou a boca e arregalou os olhos verdes, como se o rosnado fosse um arroto que tinha escapado.
Ok.
Tem uma coisa beeem esquisita acontecendo por aqui!

CONTINUA

3 comentários:

  1. Amei Giovanna! Cada vez você fica melhor!
    Logo logo farei o post, ok? Bjinhos

    llacodefita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Giovanna, Está aqui o link de indicação que postei, ok? Bjinhos

    http://llacodefita.blogspot.com/2012/01/um-blog-maravilhoso-recomendo.html

    ResponderExcluir
  3. Nossa muuuuito bom, mas fiquei bem curiosa agora
    esperando ansiosa a próxima postagem
    bjos

    ResponderExcluir