sexta-feira, 2 de março de 2012

INFERNAL - Prólogo

Você por acaso já viu um demônio?
Imagino que esteja pensando que não.
Imagino até que você tenha feito o sinal da cruz e estremecido com essa minha pergunta, imaginando aquele estereótipo clichê: um ser disforme, com patas de bode, chifres e tudo o que o verdadeiro capeta tem direito.
Como sua mente é ingênua.
Meu nome é Felix.
Tenho 1,80 de altura e uma musculatura bastante desenvolvida para a minha idade. Olhos e cabelo escuros e uma boca que pode convencer muitas pessoas a fazer qualquer coisa.
Podem até achar que sou convencido, mas não acredito em modéstia.
Mas, voltando ao assunto, apesar de parecer apenas um adolescente atraente, sou aquilo que as pessoas mais temem: um demônio.
Ou, pelo menos, serei um depois do meu décimo sexto aniversário.
É possível que ninguém acreditasse se eu contasse para alguém, mas sou a mistura de dois opostos, o céu e o inferno.
Isso mesmo.
Minha mãe era um demônio completo: dedicava-se a colocar idéias ruins na mente das pessoas, tentá-las para o mal e trazê-las para as trevas. Mas onde houver um demônio, sempre haverá um anjo tentando redimi-lo.
Como? Através do amor.
Nem me fale, isso é ridículo.
Mas parece que é a única forma de um demônio perder seus poderes: se apaixonar por um anjo. E o anjo pode escolher: deixar suas asas e seguir como mortal na terra ou continuar sua missão, deixando um demônio sem poderes por aqui.
Foi o que o meu pai fez.
Viu só, como os anjos são benevolentes? Eles se disfarçam e usam mil peripécias para que os demônios se apaixonem, percam os dons das trevas, e se tornem mortais amargurados, mas sem força para praticar o mal com as próprias mãos.
Os anjos continuam com suas missões, suas asas e toda aquela pose hipócrita de salvadores da humanidade.
Mas quando eu fizer dezesseis anos, poderei vingar minha mãe e todos os demônios que já foram enganados pelos anjos. Dentro de dois meses, me unirei às trevas.
Eu poderia escolher me tornar um anjo, claro. Tenho esse privilégio por estar entre os dois mundos.
Mas qual a vantagem de ser bonzinho?
Bondade não tem a mínima graça.
Toda a diversão está na maldade.
As pessoas tentam negar esse fato por medo de morrer e ir para o inferno. Mas sendo um demônio imortal e inteiramente infernal, não terei nada a temer. Essa é a verdade.
Os anjos podem até ter asas, mas eu terei o fogo capaz de queimá-las.
Isso eu garanto.
CONTINUA

4 comentários:

  1. Tá ficando bem legal estou gostando muito,gosto bastante de suas histórias,e virei fã do seu blog.Entrava todo dia pra ver se vc tinha postado algo novo.E essa série parece ótima.
    http://mirrorofthefeelings.blogspot.com.Esse é meu blog ele é novo,mas gostaria muito que vc fizesse uma visitinha.
    bjinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Visitarei seu blog com prazer! Obrigada pelas suas visitas e pelo apoio! =)

      Excluir
  2. Ameiii, ficou muito bom o prologo
    to muito curiosa para saber como será a primeira postagem
    to esperando aqui...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode saciar sua curiosidade, Súh! Acabei de postar o cap. 1 da série!

      Excluir