quinta-feira, 2 de maio de 2013

ELE, NERD, E ELA, ROCKEIRA


Ele, Nerd, e ela, Rockeira, se conheceram durante o colegial.
Ele, Nerd, era aluno do primeiro ano. Ela, Rockeira, era mais velha: já estava no terceiro.
Ele, Nerd, era quieto, tranquilo, um pouco gordinho, cara inteligente, poucos amigos, seu telescópio era o seu confidente, filho único, cuecas box limpinhas, não olhava nenhuma garota nos olhos.
Ela, Rockeira, era um caso grave. Tatuada, xereta, cabelo repicado, gritava seu amor por antigas bandas de rock, mostrava o dedo do meio para os otários, apaixonada pelos fones, conhecia todo mundo e todo mundo ela detestava, saia com alguns caras de vez em quando e não estava nem aí.
Ele, Nerd, era um gênio em física e queria ser astronauta.
Ela, Rockeira, passava raspando em todas as matérias e sonhava em ser uma lenda da guitarra.
Um dia, ele, Nerd, estava conversando com um amigo do grupo de estudos na saída da escola quando ela, Rockeira, decidiu aprontar.
Para dar aquela zoada básica, chutou a bolsa do rapaz e passou por ele mostrando a língua.
Ela, Rockeira, foi embora e não pensou mais na brincadeira.
Ele, Nerd, ficou vermelho como um tomate, e depois pensou nela o dia inteiro.
Uns dois meses se passaram e nada de novo aconteceu.
Às vezes, ele, Nerd, via ela, Rockeira, na saída da escola, mas sempre passava longe, com vergonha e medo de que ela aprontasse com ele de novo.
Um dia, ele, Nerd, estava realmente encrencado. Uns funkeiros-bizarros-usando-óculos-espelhados apareceram na saída da escola e resolveram zoar com ele, jogando a mochila do coitado de um lado para o outro.
Ela, Rockeira, ficou louca quando viu.
Chutar a mochila do cara, tudo bem, mas aquilo já era maldade.
E, além disso, ela odiava funkeiros.
Então, ela, Rockeira, defendeu ele, Nerd.
Pegou a mochila de volta e chutou um lugar onde realmente doeu em um dos caras.
Bateu boca com o outro.
Mostrou os dedos do meio, até que os caras se mandaram.
Ele, Nerd, não sabia se ficava agradecido ou com medo.
Ela, Rockeira, foi legal e ficou no ponto esperando o ônibus com ele, mascando um chiclete e puxando assunto.
Ele, Nerd, foi perdendo a timidez aos poucos.
Ela, Rockeira, também curtia vídeo games e um pouco de astronomia.
Ele, Nerd, ficou uma semana tentando criar coragem para convidá-la pra ver o telescópio dele, até que conseguiu.
Se atrapalhou, tropeçou, enrolou até sair alguma coisa.
Ela, Rockeira, acho engraçado e topou.
Depois de baterem papo por uma tarde inteira, ele, Nerd, confessou que gostava dela, e que pensava muito nela nos últimos dias.
Ela, Rockeira, achou engraçado outra vez, deu um beijo na testa dele, disse que ele era uma graça, mas não podia com ela, e foi embora.
Ele, Nerd, ficou um pouco envergonhado.
Mas não conseguia parar de pensar nela, então resolveu agir.
Ela, Rockeira, estava com os amigos no intervalo das aulas na segunda-feira quando ele, Nerd, chegou.
E estava mudado. O cabelo, antes castanho, agora era ousadamente roxo. E agora ele usava brincos.
Uau.
Passou reto por ela.
Ela, Rockeira, deu um sorriso selvagem e o acompanhou com o olhar, sem dizer nada.
No dia seguinte, ele, Nerd, saiu no braço com um cara na saída da escola porque o tal fulano estava sendo rude com uma menina da sala dele.
Ela, Rockeira, foi correndo pra lá, mas quando chegou, a briga já havia terminado.
Ele, Nerd, estava com o nariz sangrando e camisa manchada de terra, mas o outro cara também havia se dado mal.
Outra vez, ele, Nerd, foi embora sem falar com ela.
No terceiro dia, ela, Rockeira, viu ele, Nerd, cercado por garotas no corredor da escola.
Uma delas, em especial, passava a mão no cabelo dele toda hora, e era a mesma menina que ele havia defendido na véspera.
Ele, Nerd, olhou pra ela, Rockeira, antes de continuar conversando calmamente com a menina.
Foi a última gota.
Ela, Rockeira, cuspiu o chiclete no chão, caminhou decidida até ele, empurrou as meninas e encostou ele, Nerd, contra a parede, feroz.
Ele, Nerd, perdeu a pose, começou a suar na hora: nunca havia beijado uma garota antes.
Ela, Rockeira, não deu importância e o agarrou, sem dar corda para quem estivesse olhando.
Ele, Nerd, e ela, Rockeira.
Hoje são apenas Eles.

4 comentários:

  1. Adorei os textos, li todos, mas acho que não comentei em muitos, achei eles muito perfeitos! O novo visual do blog esta de mais! Adorei Gi! bjs.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada mais uma vez, Carla!
    Beijos! *-*

    ResponderExcluir
  3. woou legal fico d+++ legall meus parabens a escritora!!! :D

    ResponderExcluir