quarta-feira, 7 de outubro de 2015

#MeuCaldeirão: Garota Imperfeita

Na TV, no cinema, nos palcos, nas redes sociais: as garotas perfeitas estão em toda parte.
Elas são lindas por completo. São sexy de um jeito sutil. São talentosas. Elegantes. Corajosas. Expressivas. Têm personalidade forte, marcante, e conseguem provocar aplausos em tudo o que fazem. A maioria delas é famosa.
Mesmo tendo defeitos, mesmo cometendo erros, elas são tão sinceras em reconhecê-los, ou dizem “foda-se” de uma maneira tão despojada, que continuamos considerando-as perfeitas apesar das falhas.
Elas são ídolas. São referência em vários aspectos, às vezes para milhares de pessoas.
Até que, fatalmente, suas admiradoras percebem o que tentaram nunca enxergar: é quase impossível chegar a esse nível de perfeição.

Não vou perder tempo dizendo que as garotas perfeitas não são perfeitas de verdade, que são apenas meninas e mulheres talentosas e brilhantes que apareceram na mídia, mas têm problemas como todo ser humano normal.
Não. Não adiantaria dizer isso, porque não importa se a Megan Fox tiver espinhas, se a Anahí for grosseira com os paparazzis, se a Adele for gordinha ou se a Meryl Streep dizer que é “humanista” e não feminista.
Elas continuam sendo endeusadas por seus milhares de fãs, que admiram nelas vários aspectos e aceitam suas "falhas" como, ironicamente, parte de sua perfeição.
Eu quero falar de garotas “normais”, como você e eu. Garotas que por vários motivos não se encaixam total ou parcialmente nos padrões favoritos da imprensa, ou que dificilmente acabariam sendo consideradas como “perfeitas” por milhões de pessoas.
Isso é frustante demais.
O discurso de que toda mulher tem sua beleza, de que todo ser humano tem suas qualidades e defeitos e de que ninguém é perfeito pode ser muito verdadeiro, mas às vezes não é o suficiente.
Talvez, sei lá, eu já esteja entupida até o último com esses malditos “padrões de beleza” que a mídia acaba nos impondo. Reconheço essa possibilidade.
Mas é difícil deixar de desejar ter um corpo de boneca Barbie, cabelo de sereia e uma pele de pêssego. Difícil pra cacete.
Eu nunca fui a pretty girl durante a minha adolescência. Passava batido perto das minhas amigas.
Na escola (graças a Deus) eu me destacava muito mais pela inteligência do que pela beleza, e me orgulho disso. Mas uma parte de mim sempre desejou que as pessoas notassem em mim mais do que uma “CDF”, e que me achassem linda em cada detalhe.
Eu sei, sou ambiciosa.
E eu quero ser atriz. Atuar é minha maior paixão depois de escrever. Minha ainda limitada experiência teatral me ensinou que a força da interpretação é infinitamente mais importante do que a beleza de um ator quando se está no palco.
Mesmo que você pareça uma Angel da Victória’s Secrets e chame a atenção da plateia em um primeiro momento, vai se encolher até sumir se não tiver presença cênica e uma garota de aparência “comum” soltar a voz e o corpo com confiança do outro lado do palco.
Mesmo assim, essa equação de atuação x beleza ainda me deixa meio grilada, a ponto de sabotar um pouco a minha autoconfiança.
Tá, eu mereço um bônus. Aos 19 anos não sou mais tão gordinha quanto aos 15. Troquei os óculos que eu detestava usar por lentes de contato, consegui eliminar grande parte das minhas espinhas e o resto aprendi a esconder com maquiagem. E o melhor de tudo: meu cabelo milagrosamente parou de se rebelar contra mim e cresceu saudável e bonitão. Tudo isso me fez sentir muito melhor em relação a mim mesma.

Mas não pense que eu tive uma fada madrinha ou algo assim, ou me transformei de um dia para o outro pra conquistar algum boy magia, no estilo Beth, a Feia.
Essas melhorias se devem à muito esforço por uma vida mais saudável, o que incluiu aprender a comer melhor e deixar de ser sedentária.
E, claro, metade do meu salário gasto em farmácias e lojas de cosméticos. Sério, tenho todo tipo de creme, sabonete, maquiagem e protetor solar pelos quais posso pagar.
Mesmo assim, toda vez que me olho no espelho sinto que ainda não cheguei lá. Não sei onde é “lá”, mas deve ser em algum lugar entre a cor do cabelo da Karen Gillan e o corpo da Kaya Scodelario.
Ainda há alguns quilos me incomodando. E cravos chatos que se recusam a abandonar meu nariz e meu queixo.
Ah, e claro, a porra das celulites.

E não venha me dizer que sou linda do jeito que eu sou, ou que “toda mulher tem celulites, querida!”, porque já tenho meu namorado e minha mãe para fazerem isso. O problema vai bem mais além.
Mesmo reconhecendo que presença de palco é mais importante do que a beleza de uma atriz de teatro, será que algum diretor vai escolher uma Julieta acima do peso?
Ou uma garota que tem joelhos tortos e coxas muito grossas para o papel de Marguerite Gautier em A Dama das Camélias?
Não me levem a mal, eu não acho que ter nenhuma dessas características físicas (ou qualquer outra) faria de uma boa atriz menos apta para esses ou qualquer papel, principalmente no teatro.
O problema sou eu. Como eu poderia encarnar uma Julieta ou uma Marguerite se eu não me vejo sendo uma delas com o corpo que eu tenho atualmente?
O problema sou eu, totalmente eu, e minha boca grande, que não só fala demais como come demais também (principalmente bolo, ah, bolo!) e depois fica se revirando de culpa ao se olhar no espelho.
Audrey Hepburn, minha “thinspo” favorita em vários aspectos, com certeza me diria que estou sendo tola. Que ela mesma não tinha o corpo adequado para ser bailarina devido a sua altura de 1,68m (alguns dizem que era 1,70m, mas gosto de acreditar que era 1,68m porque essa é a minha altura também), e que mesmo assim nunca abandonou sua paixão pelo balé, levando-o como hobby, e foi brilhar nas telas de Hollywood.
Pois garotas “perfeitas” não devem sua perfeição somente à aparência, como já sabemos, e sim a todo um conjunto de elementos, incluindo personalidade, talento, e, principalmente, autoconfiança.
Ter estilo, postura e amor próprio são requisitos indispensáveis, ao meu ver, mas às vezes é bem fácil se perder e andar por aí com uma roupa que não têm nada haver com você e os ombros curvados, porque não conseguimos aprovar a nós mesmas.
Bom, acho que tenho duas opções se realmente quero seguir a carreira de atriz:
1ª Continuar estudando, aprendendo, e tentar aperfeiçoar minha técnica, com muita dedicação, e aceitar o meu corpo como ele é.
2ª Continuar estudando, aprendendo, e tentar aperfeiçoar minha técnica, com muita dedicação, enquanto levo a sério meu emagrecimento e diminuo uns 10 kg na balança.
No momento estou tentando um meio termo.
Sim, eu tenho que me aceitar.
Mas quem disse que eu tenho que aceitar tudo? Nem o cartão de crédito da Lindsay Lohan é sempre aceito.
Garotas perfeitas são inspirações para buscarmos o nosso próprio “perfeito”, e não um modelo rígido a ser seguido. Afinal, elas são consideradas perfeitas por terem coragem de serem diferentes.
Quem sabe um dia, daqui uns anos, depois de me ver nos palcos fazendo o que amo, alguma garota de 15 anos pense: “Uau, essa Giovanna Rubbo é ‘perfeita’. Mesmo não tendo nada haver com a Megan Fox ou com qualquer modelo. Acho que eu também posso ser ‘perfeita’ um dia”.
Ok, eu estou sonhando alto. Alto demais.
Mas não posso fazer nada.
Tenho quase 1,70m de altura.

3 comentários:

  1. Vou começar falando de algo nada a ver: sempre pensei que você fosse mais alta, hahahah.
    Tenho que admitir, somos bem parecidas. Eu odeio esses padrões, mas as vezes me pego me esforçandp para acompanhar alguns, principalmente quando a questão é o corpo. Sei lá, eu nunca fui de ligar muito pra isso. Nunca fui gordinha, mas sempre fui meio "inchada" e a única parte do meu corpo que engorda: barriga. Quando eu trabalhava, ano passado, viviam me perguntando se eu estava grávida. Acho que isso tirou minha confiança. Afinal, eu não namoro e nem me interesso nisso, como posso estar grávida?!
    E, sendo completamente sincera!, sempre te achei muito linda. A um nível perfeita, mesmo. Você tem olhos bonitos, cabelos perfeitos, escreve maravilhosamente bem e é bruxa. Sério, você só não é completamente perfeita porque ainda não ouvi sua voz. Sou louca por vozes. Então só falta sua voz ser linda, e imagino que seja, pra tu ser perfeita. Não estou exagerando, sempre achei mesmo. Te admiro bastante, às vezes é difícil acreditar que conversamos, hahaha, pra mim às vezes ainda parece que eu estou sonhando, como se eu estivesse falando com um ídolo, hahahah.
    Adorei o post! E sempre tem alguém que vai nos achar perfeito, por mais impossível que possa parecer.

    ResponderExcluir
  2. Carla, sua linda, maravilhosa, perfeição *-*

    Entre todas as pessoas do mundo eu sabia que você me entenderia <3
    Eu te acho tão graciosa, tão inteligente, tão meiga... Parece, sei lá, uma bailarina. E ao mesmo tempo tem suas facetas, sua força, um espírito livre louco para sair se aventurando pelo mundo por baixo dessa fachada de princesinha.

    E eu sei exatamente como alguns comentários (nem sempre tão inocentes) que algumas pessoas fazem podem abalar nossa autoestima. E quando isso acontece, deixa de ser algo que fulano disse e se torna uma minhoca em nossas próprias cabeças.

    Temos que lutar contra esse conceito de ter que se encaixar em padrões, mas ao mesmo tempo melhorar em nós mesmas o que nos incomoda para nos sentirmos bem e sermos felizes. Eu sempre vejo pelas suas fotos e postagens no face que você faz academia, que tem amigos lá e que se sente super bem com isso. Acho isso incrível, porque eu tenho que fazer um esforço ENORME para levantar da cama e ir me exercitar todos os dias haha.

    Muito obrigada por todo o carinho, por ser minha amiga e por esses elogios que me deixaram besta XD
    E sinto te decepcionar, mas minha voz é "normal", não tem nada de linda kkk

    E foi muito sábio o que você disse, sempre haverá ao menos uma pessoa que nos considere perfeitas. Só que nunca nós mesmas. Acho que nenhuma garota "perfeita" se considera perfeita...

    Obs.: Jura que você pensava que eu era mais alta? Porque no dia a dia eu me sinto quase uma giganta... Sério. Posso ser uma anã comparada a um grupo de modelos, por exemplo, mas sempre fui mais alta do que as outras mulheres ao meu redor, na grande maioria das vezes. XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então não me enganei tanto com a sua altura hahhahah. Mas devo ter mais ou menos sua altura.
      To falando disso porque essa sua resposta me deixou sem palavras *O* como você me conhece tão bem, sem nunca me ver pessoalmente?? Você é incrível!!
      <33
      E sobre a academia... Antes eu detestava, mas essa que eu frequento me fez mudar, lá é como minha segunda casa. Não que eu seja um rato de academia que ame malhar, hahah, ainda odeio musculação, mas faço dança e outras atividades, fiz amigos que amo lá.
      GIOVANNA PRECISO TE CONHECER PESSOALMENTE COM URGÊNCIA!!! *---------*

      Excluir