terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Carta do Fantasma do Suicídio

Cena de A Noiva Cadáver, de Tim Burton
Deslizando para a superfície da terra apodrecida com os meus restos, eu vim revelar para a humanidade os segredos profundos e profanos da filosofia suicida.
Eu sou o primeiro amante desiludido que se enforcou com uma corda, eu sou o último adolescente que cortou os pulsos e a garganta ao som de uma música que ninguém nunca entendeu direito.
Eu sou invocado pela névoa gelada, eu sou a âncora que afunda os que querem se afogar.
Eu vim sussurrar as palavras finais para uma menina que dorme, e as palavras são não acorde, não acorde, não acorde, meu amor.

Eu grito e me iro quando me batem e me chamam de covarde. Covarde! Covarde! Covarde!
Vão se foder.
Eu duvido vocês terem coragem de pular da cadeira com a corda no pescoço, coragem de enfiar a lâmina mais fundo mais fundo mais fundo ignorando a dor e o sangue. Coragem de se lançar na água gelada e escura de um lago sujo, sabendo que nunca mais verá a luz outra vez.
Duvido serem corajosos o suficiente para simplesmente deixar o gás ligado e ir dormir. Duvido vocês não terem medo de tomar todos os remédios e não pedir socorro quando sua cabeça começar a girar.
Duvido beberem cândida e deixá-la queimar suas entranhas até vocês se afogarem no próprio sangue ácido.
Eu duvido eu duvido eu duvido porque sou o único corajoso o suficiente para não ter medo da dor.
Evan Peters em American Horror Story - Murder House
Vocês são os medrosos de merda que preferem se arrastar fingindo que não sentem nada por uma existência lenta e inútil do que confrontar a dor. Eu tenho pena de vocês. Eu tenho nojo de vocês.
Vamos parar no mesmo abismo, mas eu cheguei aqui primeiro. Eu tive coragem de tomar um atalho.
Encare, encare o abismo. E não estremeça quando ele te encarar de volta. Eu estou suicidalmente certo.
Você não precisa mais suportar seus fracassos e se deitar sobre eles.
Pare de se arrastar mediocremente por uma vida inteira. Há um modo mais fácil de chegar ao fim, eu mostro o caminho.
Pare de chorar e de olhar para trás, onde a luz mente pra você. Pare de se agarrar às mentiras que te contaram.
Uma casa um emprego um amor uma família. Nada dura para sempre, nada fica até o fim. O fim é apenas o fim. O fim não é um novo começo, e os últimos não serão os primeiros nunca.
Venha logo, ou você vai desistir de novo.
Segure a minha mão e deixe-me levá-lo para o seu novo túmulo, onde a luz não o alcança e ficamos mais frios e cinzentos. Seremos apenas eu, você e ela.
Por favor, venha comigo.
O tempo está acabando.
Ela nunca quis machucar ninguém.
Ela é só uma garotinha triste e doente.
Outra imagem do filme A Noiva Cadáver, de Tim Burton

4 comentários: